Assine o feed

ou use o e-mail e receba os últimos posts na sua caixa de entrada.

Coloque seu e-mail aqui:

Jabá

Os links marcados com esta imagem: comparação levam a sites de comparação de preços

Páginas

Categorias

Gastrite – Sintomas e Tratamento

Sintomas e tratamento da gastrite.
Sintomas e Tratamento da Gastrite
Gastrite é a inflamação da mucosa do estômago. A gastrite pode ser de dois tipos: crônica e aguda.

A gastrite aguda é de aparecimento súbito, evolução rápida e geralmente é associada a um agente causador.  Medicamentos e estresse físico e psíquico são alguns dos agentes causadores.

Os sintomas da gastrite são vários, dentre eles: dor em queimação, azia, perda de apetite, náuseas e vômitos.

O tratamento da gastrite aguda é utilizado medicamentos que neutralizem, inibam ou bloqueie a secreção ácida do estômago.

Se você possui alguns desses sintomas e acha que tem algum tipo de gastrite consulte um médico.

Fonte: ABC da Saúde


Artigos Similares

Receba de Graça! Digite seu E-mail e receba novidades sobre Gastrite – Sintomas e Tratamento e outras do blog.

7 Comentários para “Gastrite – Sintomas e Tratamento”

  1. Sarah Morenaa Morenaa says:

    esse texto e muitOoo bom A doreiiiiiiiiiiiii:*

  2. Patricia says:

    tenho gastrite nervosa desde os meus 17anos hoje tenho 29 anos e gostaria de saber se corro o risco de pegar cancer,as vezes fica dificil cumprir as dietas eo OMEPRAZOL ja esta fraco para mim,oque eu faço doutor me ajude

  3. Reinaldo Araujo says:

    muito obrigado pelas informaçoes agora posso saber o motivo das minhas irritaçoes o meu estomago agradece obrigado

  4. Estevam says:

    GASTRITE

    O que é?

    Gastrite é a inflamação da camada mais interna do estômago, a mucosa. Pode estar localizada em alguma região do estômago, ou estar atingindo toda a extensão deste órgão. A gastrite é dividida em aguda ou crônica. A aguda é autolimitada, ou seja, a inflamação desaparecerá em um curto tempo. Em contrapartida, a gastrite crônica persiste por longos períodos de tempo.

    Causas

    A gastrite é causada por substâncias que irritam a mucosa do estômago e através de infecções (vírus e bactérias), que levam ao processo inflamatório.
    Algumas substâncias como os medicamentos antiinflamatórios, o álcool, o cigarro, café, os doces em excesso e os alimentos condimentados estão relacionados ao surgimento da gastrite. Algumas infecções virais também são causadoras de gastrite, principalmente na forma aguda. Os hábitos alimentares também têm papel relevante no surgimento da gastrite, como o jejum prolongado durante o dia, e o excesso na ingestão de gorduras e frituras.
    Estas substâncias levariam a um defeito na barreira de proteção que protege a mucosa do estômago em relação ao ácido gástrico utilizado na digestão dos alimentos. Sendo assim, o ácido produzido no próprio estômago agiria como irritante da mucosa, causando o processo inflamatório.
    As gastrites crônicas, por sua vez, estão relacionadas à infecção pela bactéria Helicobacter pylori. Esta bactéria vive muito bem em lugares com muito ácido, como o interior do estômago, e tem como característica destruir a barreira de proteção da mucosa contra o ácido. A infecção por esta bactéria é mais comum em lugares com condição sócio-econômica mais precária, e a transmissão se dá por via oral-fecal. A infecção prolongada pelo Helicobacter pylori pode levar ao desenvolvimento de gastrite atrófica, atrofia do estômago, e até mesmo câncer de estômago. Desta forma, pacientes com dores de estômago crônicas devem procurar um médico especialista para o diagnóstico e tratamento da infecção por esta bactéria.

    Sintomas
    Os sintomas mais comuns da gastrite são dor de estômago caracterizada por queimação, sensação de “empachamento” após as refeições, distensão do abdome na região do estômago, má-digestão, náuseas e vômitos, eructações (arrotos) freqüentes, soluços e azia.
    Nos casos mais graves, pode haver sangramento do estômago devido ao processo inflamatório, e então a gastrite é denominada de gastrite hemorrágica. Nestes casos, o paciente apresentará vômitos com sangue e evacuação de fezes muito escurecidas e com odor fétido (chamadas de melena) devido a presença do sangue.
    O exame físico de pacientes com gastrite apresenta pouca alteração, como desconforto discreto à palpação do estômago. Nos casos com gastrite hemorrágica, o paciente apresentará sintomas relacionados ao sangramento, como a queda da pressão arterial, palidez da pele, sudorese e aumento da freqüência cardíaca.

    Diagnóstico

    O diagnóstico da gastrite é realizado através da Endoscopia Digestiva Alta. Este exame permite a visualização de toda a mucosa do estômago, tornando o diagnóstico da gastrite muito evidente. Através da endoscopia digestiva também é possível a realização de biópsias, que permitem o diagnóstico histológico (microscópico) da gastrite, assim como a pesquisa da bactéria Helicobacter pylori.
    Deve-se chamar a atenção para os pacientes com mais de 55 anos e naqueles com sinais de alarme como sangramento, anemia, perda de peso não intencional, vômito persistente, história familiar prévia de câncer gastrointestinal. Estes pacientes devem realizar a endoscopia digestiva em caráter de urgência, para a exclusão de gastrite hemorrágica, úlceras e câncer de estômago.
    O diagnóstico da infecção por Helicobacter pylori também pode ser realizado através das fezes, de testes respiratórios e exames de sangue.

    Tratamento

    O tratamento inicial da gastrite está relacionado aos hábitos alimentares. Os pacientes devem evitar alimentos muito condimentados, frituras e gorduras, doces e chocolates, café, refrigerantes, balas, chicletes e álcool. Também deve ser realizada dieta regrada com horários definidos. Os pacientes com gastrite devem realizar dietas fracionadas, ou seja, alimentar-se várias vezes ao dia, mas com quantidades menores de alimentos. Desta forma, os alimentos reagiriam com o ácido gástrico durante grande parte do dia, e este último não causaria a inflamação da mucosa.
    Em relação ao tratamento medicamentoso, este é feito com remédios que diminuam a acidez do estômago, permitindo assim, que a mucosa cicatrize, e cessando a queixa de queimação. Além disso, em alguns pacientes, está indicada a utilização de medicamentos pró-cinéticos, ou seja, que promovam o esvaziamento mais rápido do estômago. Estes medicamentos diminuem a distensão do abdome e a sensação de empachamento.
    Nos pacientes portadores de infecção por Helicobacter pylori, o tratamento consiste no uso de medicações que diminuam a acidez no estômago, tornando o ambiente menos favorável à bactéria, além do uso de antibióticos específicos.
    Eu tomo esse medicamento OMEPRAZOL sempre pela manhã antes de comer qualquer coisa, comigo funciona volto a sentir quando passo alguns dias sem tomar o medicamento e exagero nos condimentos e nas bebidas. Abraço

  5. junior says:

    as vezes quando termino de almoçar meu estomago começa uma quemaçao principalmente quando eu coloco farinha de mandioca

  6. José Elaesso da Silva says:

    Olá eu tenho hpylore e sinto muita dor, as vezes quando como depois de bastante tempo começa uma dor lenta, para que essa dor npasse a base de medicamentos tenho que provocar vômito. gostaria de um comentário sobre issi, convivo com esse problema a mais de 30 anos

  7. Marcelo says:

    Gosataria de saber sobre ervas que curam a gastrite. Obrigado

Comentários